Neste artigo irá encontrar:

Os avanços tecnológicos advindos com a transformação digital permitem não só que novas funções e ferramentas façam parte do dia a dia das organizações, mas também que tecnologias antigas sejam ressignificadas e reincorporadas nas atividades organizacionais.

Um desses casos é o QR Code. Criado originalmente para ser utilizado na indústria, foi incorporado a ações de marketing e, nos tempos atuais, tem se tornado uma boa opção de pagamentos para as empresas. Isso tomou uma maior proporção, principalmente, com o surgimento do PIX.

Contudo, para que as ações sejam feitas de forma estratégica, você precisa dominar essa ferramenta. Então, saiba o que é QR Code e por que as empresas estão cada vez mais utilizando-a em seus processos de pagamento. Boa leitura.

O que é QR Code?

O QR Code é uma espécie de código de barras, no entanto, aplicado em formato 2D. O modelo tradicional só podia ser lido em apenas uma dimensão (horizontal), o que limitava razoavelmente suas possibilidades. Sua sigla vem de “Quick Response” e pode armazenar um grande volume de dados.

Para que você entenda as diferenças, o código de barras trata-se de uma série de barras, escuras e claras que, quando dispostas e lidas por um scanner com raio vermelho, realiza a leitura das informações (única forma de realizar o processo). A informação é passada para um computador, o qual realizará a decodificação das informações previamente cadastradas em um banco de dados.

Já o QR Code possui uma série de informações em códigos e caracteres codificados, os quais podem ser lidos por meio de um app específico e uma câmera. Ele pode ser gerado por qualquer pessoa, já que se trata de uma tecnologia livre. Há sites que facilitam a criação dessa ferramenta, de forma automatizada, para leitura de informações simples, como textos, links, números de telefone e SMS.

Para que serve o QR Code?

O QR Code, sendo assim, tem uma função semelhante ao código de barras, porém, com potencial para armazenar um maior volume de informações. Ele tem a função de facilitar a visualização de um conjunto de dados, por meio de um código. Atualmente, ele está presente em uma série de funções, tais como:

  • verificação para uso de aplicativos (você pode encontrá-los para acessar o Whatsapp Web e enviar o seu perfil do Instagram para seus amigos);
  • leitura de ingressos de eventos;
  • complementação de informações que auxiliem no turismo, ao frequentar pontos turísticos;
  • realização de pagamentos e transferências, principalmente, com a adoção do PIX, entre outras funções.

Como surgiu?

Com o "boom" do QR Code nos últimos anos, muitos acreditam que se trata de uma invenção recente. Contudo, em breve, ele fará 20 anos. Sua criação data do ano de 1994 e foi criado como uma forma de auxiliar o desenvolvimento da indústria japonesa, em sua linha de produção.

Contudo, pelas suas potencialidades, com a popularização do uso digital e tecnologias para este fim, ele começou a ser adotado em aparelhos de celulares que possuíam câmeras com tecnologia VGA. Essa função permitia ler e interpretar imagens.

De acordo com que os aparelhos móveis foram evoluindo tecnologicamente, o QR Code passou a ser mais utilizado. Sendo inserido, principalmente, no mercado publicitário. Contudo, não se restringe apenas a ele.

Como funciona o QR Code?

O QR Code possui informações codificadas em seu formato. Assim, para que seja possível decodificá-los, a pessoa deve ter, a sua disposição, uma câmera presente em um aparelho móvel e um aplicativo que consiga ler o código, fazendo a conversão automaticamente.

Todo código dessa natureza tem uma espécie de “borda”, que determina em que ponto começa e onde termina. Dentro dessas margens, nos quatro cantos (já que possui formato quadrado), aparecem caixinhas que devem estar sempre em destaque. São elas que determinam a função do QR Code, bem como definir o seu formato e o seu caminho (site, rede social, independente, entre outros). Já as outras partes da imagem do QR Code possuem as informações em si, dispostas em pequenos módulos.

Quais as vantagens?

Atualmente, o QR Code se tornou bastante popular para facilitar a leitura de informações importantes para um maior volume de pessoas que acessarem esse código. Isso deve-se, principalmente, ao fato de ser um sistema bastante vantajoso. Por isso, popularizou-se tão rápido.

Uma de suas principais vantagens é a possibilidade de leitura quando há danos na superfície em que o código está. Ou seja, pense que o código está em um papel fixado no caixa de uma loja, o qual já está deteriorado. Ainda assim, quando a câmera fizer a captura, é possível obter os dados facilmente.

Outra vantagem é sua versatilidade. Ele pode ser feito para uma série de ações interessantes para as organizações, como atos publicitários. Já foi criado QR Code em calçada portuguesa e, também, no calçadão de Copacabana, por exemplo.

Ainda podemos acrescentar outros pontos, tais como veremos a seguir.

Engajamento

Você pode criar ofertas exclusivas para quem acessa o QR Code e, dessa forma, garantir um maior engajamento com as ações da sua empresa. Um exemplo disso, na prática, tem sido as ações promocionais de patrocinadores durante o Big Brother Brasil.

Durante a exibição do reality show de maior audiência do país atualmente, são lançados códigos com promoções e ofertas exclusivas para quem acessa o código naquele momento. Com isso, permite-se potencializar o engajamento com seu negócio, bem como avaliar o índice de conversões a partir daquela ação específica.

Satisfação do cliente

O cliente sente-se feliz por poder aproveitar ofertas e ações exclusivas. Por exemplo, em uma ação de marketing específica, pode-se gerar valor para quem está acompanhando a ação e, assim, deixá-lo mais feliz e ligado à marca.

É importante saber como trabalhar o QR Code, justamente, para este fim. Caso contrário, o risco de gerar o processo oposto é muito grande. Por exemplo, se você propõe uma oferta exclusiva para quem acessar o código, mas ele não funcionar, poderá gerar frustração e, consequentemente, irritar seu público.

Aumento de conversão

Ações diferenciadas permitem que você consiga conduzir seus clientes de forma mais efetiva pelo funil de vendas, até que possa gerar, de fato, a conversão. Quando aplicado de forma consistente, é possível fazer com que o seu potencial cliente não queira perder a oportunidade incrível e, dessa maneira, realize a aquisição.

Aumento de interatividade

É possível utilizar o QR Code para promover ações interativas com o seu público, realizando uma série de peças criativas, capazes de melhorar a imagem do seu negócio e o engajamento com a sua marca. Quer ver um exemplo?

Pense em promover uma ação utilizando essa tecnologia e realidade aumentada, bem como solicitar que os consumidores postem em suas respectivas redes sociais, marcando a página do seu negócio. Com isso, pode ser utilizado o algoritmo desses locais a seu favor, impulsionando a visualização orgânica.

Outro ponto é que se gera um buzz interessante para o seu negócio a longo prazo, já que mais pessoas estarão falando sobre o seu negócio. Ou seja, pode ser uma ação com alto custo-benefício.

Praticidade para o cliente

O uso do QR Code para pagamento, por exemplo, pode ser altamente prático para seu cliente. Por meio disso, ele pode realizar o pagamento de suas contas de forma mais prática, com maior autonomia, sem a necessidade de um terceiro realizar o processo no caixa, por exemplo.

Melhor relacionamento

Tudo que listamos acima auxilia a gerar um relacionamento fortalecido com seu público. Afinal, eles passam a ter maior confiança e garante maior praticidade no dia a dia. Além disso, o QR Code pode ser utilizado para melhorar as possibilidades de atendimento para o potencial cliente.

Como é utilizado o QR Code?

Como falamos antes neste artigo, o QR Code possui uma grande versatilidade no mercado, o que o torna altamente favorável para os diferentes negócios. Há uma série de possibilidades para seu uso, como veremos a seguir.

Realidade aumentada

Uma das formas mais utilizadas do QR Code nos últimos anos foi, justamente, para campanhas que utilizavam realidade aumentada, ou seja, era possível inserir uma informação nova em sua tela por meio da leitura do código.

Uma das ações mais recentes e que se tornou a maior ação de realidade aumentada do mundo foi feita pelo Bradesco. Lançada em 2021, a ação pedia para que os telespectadores capturassem um QR Code exibido no programa Altas Horas, na Rede Globo.

Ao realizar a captura, apareciam pequenos vagalumes na tela, em realidade aumentada (ou seja, aparecendo como se estivessem sendo visualizados pela câmera do celular), com o objetivo de trazer uma mensagem de luz e esperança para este ano.

No final da ação, foram mais de 230 mil pessoas tendo acesso à experiência ao mesmo tempo e, após as primeiras horas, 671 mil visitas voluntárias. Você pode conferir o vídeo da ação aqui.

Campanhas publicitárias

Contudo, não é só para realidade aumentada que você pode utilizar o QR Code, a fim de criar campanhas publicitárias. Alguns cases de sucesso mostram isso.

Uma delas é a da cerveja Samuel Adams, uma das mais famosas do mundo. Códigos eram colocados em bolachas de chopp nos bares. Ao serem lidos, o consumidor ia para uma landing page, no qual surgia uma oferta especial, em forma de cupom.

Outro case interessante foi o do WalMart, feita nos Estados Unidos. Por meio dela, era possível que uma pessoa encontrasse uma série de QR Codes em pontos específicos das cidades em que estavam. Os códigos estavam ligados a alguns produtos específicos. Assim, caso a pessoa desejasse fazer a compra do item, bastava fazer a leitura do código e era direcionado diretamente para o site da loja.

Ainda podemos trazer mais um case interessante: a Diesel. Essa empresa sempre teve histórico de combate a fraudes e falsificação de seus itens, passou a fazer uma campanha bem interessante, que foi colocar QR Codes em suas peças. Assim, ao lê-lo, a pessoa teria certeza de que se tratava de uma peça legítima.

Gerador de cobranças

Outra possibilidade bastante interessante nos tempos atuais é utilizar o QR Code para facilitar os processos de cobrança. Isso tornou-se ainda mais popular com a chegada do PIX, no qual as empresas poderão realizar processos de cobrança por meio de QR Code dinâmico, ou seja, as informações mudam de acordo com os dados oferecidos por um sistema específico, tal como falamos no início deste guia completo.

Assim, como você pôde perceber, é possível utilizar o QR Code para uma série de questões em seu negócio, tais como:

  • gerar uma ação que crie uma identidade para seu negócio;
  • guiar o consumidor para uma landing page ou site específico, de acordo com a sua demanda;
  • pode servir para facilitar os processos de pagamento;
  • auxilia para que o cliente encontre mais facilmente informações importantes, como contato, envio de e-mail, SMS, marcar evento, entre outros;
  • pode-se gerar um QR Code para compartilhamento de rede Wi-Fi.

Como gerar cobranças com QR Code?

Um dos usos que tem se tornado cada vez mais popularizados é a possibilidade de geração de cobranças e pagamentos por meio do QR Code. Isso tem ganhado mais fôlego, principalmente, com a adoção do PIX.

Contudo, por ser ainda algo relativamente novo, muitos gestores possuem dúvidas sobre como gerar o código para pagamento por parte dos gestores. Para isso, as prestadoras de serviços de pagamentos financeiros têm se adaptado para este fim. Assim, se o seu e-commerce já trabalha com plataformas como PicPay, MercadoPago ou, até mesmo, bancos tradicionais, os sistemas desses locais já atuam oferecendo a possibilidade de gerar o QR Code em seus sistemas.

Para isso, é importante que você analise com suas fornecedoras de plataforma de pagamento, de que forma deverá gerá-los, principalmente, de forma automatizada. Isso é importante para poupar tempo de seu negócio.

Contudo, você deve ter ouvido nos últimos tempos que há dois tipos de QR Code: estático e dinâmico. Vamos falar mais sobre cada um deles a seguir.

QR Code estático

QR Code estático é aquele o qual pode ser utilizado, por exemplo, para diversas transações de mesmo valor. Ou seja, pode ser utilizado para arcar com o pagamento de um produto com valor fixo. Em uma analogia, trata-se de uma etiqueta de preço. Portanto, aquele código específico vale para todas as transações que estão relacionadas com o pagamento daquele item. É, assim, um código mais flexível.

QR Code dinâmico

Já o QR Code dinâmico é aquele que é aplicado apenas para uma única transação, ou seja, para uma compra específica. Caso mude algum dos parâmetros, deverá criar um novo. Outro diferencial é que ele permite a inserção de outros dados, como identificação do recebedor, minimizando possíveis fraudes.

Fato é: ambos possuem o mesmo objetivo, contudo, a questão está relacionada com as transações que podem ser realizadas com cada um deles: o estático permite que você possa estabelecer diversos pagamentos de um mesmo valor (por exemplo, a mensalidade de um serviço); o dinâmico, contudo, é gerado para uma transação específica (por exemplo, o pagamento de uma conta única).

Como se proteger de fraudes?

Como você pôde perceber, o QR Code é uma novidade que veio para ficar nas transações financeiras entre pessoas físicas e empresas. Portanto, os negócios que estão atentos para essas inovações sairão à frente dos seus concorrentes no mercado. Contudo, como toda mudança que passa pelo mundo digital, ela está suscetível a problemas com cibercriminosos.

Uma questão que você pode estar se perguntando no momento é: os hackers e fraudadores podem utilizar esse sistema para obtenção de dados de forma incorreta? A resposta é sim. Inclusive, ações dessa natureza já vêm sendo utilizadas desde a popularização do PIX.

Criminosos têm utilizado QR Codes de comércio e plataformas de pagamento, realizando uma tática que já é conhecida como modalidade de golpe: o phishing. Assim, eles fingem serem as empresas e pretendem, dessa forma, utilizar essa confiança para acessar dados pessoais dos usuários ou, então, infectar dispositivos com malwares e vírus.

Assim, ao receber o código do estabelecimento, o cibercriminoso consegue modificar a URL aberta, sendo redirecionado para uma página maliciosa, ou, ainda, baixar um aplicativo que pode roubar dados bancários do cliente. Com isso, a imagem do seu negócio poderá ficar em xeque, bem como gerar prejuízos diversos.

Por isso, é fundamental acompanhar algumas dicas essenciais para a proteção do seu negócio, como veremos a seguir.

Conscientize o seu usuário

Um primeiro ponto, trata-se de conscientizar constantemente o seu potencial cliente sobre o risco de fraudes. Isso pode ser feito tanto na sua página, quando o cliente acessa a área de compras, quanto encaminhando e-mails com orientações importantes para auxiliá-los.

Lembre-se que muitos dos seus clientes não são especialistas em tecnologia e, portanto, essas informações precisam circular de forma didática. Algumas dicas que podem estar presentes no documento são:

  • manter senhas atualizadas;
  • não realizar compras via internet pública;
  • sempre conferir os canais de compra ou evitar locais suspeitos (e ensine-os como identificar);
  • pagar apenas os QR Codes enviados por meio de endereços oficiais.

Invista em protocolos de segurança da informação

Muitas das fraudes ocorridas no uso do QR Code como forma de pagamento ocorrem por problemas de segurança da informação, que permitem os cibercriminosos realizarem os processos de fraude, realizando as alterações por meio da interceptação das comunicações.

Quando o negócio investe em protocolos de segurança da informação, como uso de criptografia, certificados digitais, entre uma série de outras questões que, quando aplicadas, garantem menores chances desse tipo de problema ocorrer.

Lembre-se que, para além da proteção contra fraudes na adoção do QR Code como método de pagamento, essas medidas também permitem evitar outros problemas, tais como:

  • compras inadequadas;
  • uso dos dados para compras externas;
  • vazamento de informações;
  • tentativas de phishing, entre outros.

Todos esses pontos podem ser evitados por meio de políticas de segurança da informação robustas e eficientes. Por isso, não deixe de considerar esse investimento o quanto antes. Até porque a LGPD prevê sanções por negligências nessa área. Assim, esse investimento auxilia no compliance nas empresas.

Utilize sistemas antifraude em seu negócio

Entre as soluções que podem ser implementadas para garantir as medidas de segurança das informações e, consequentemente, trazer maior proteção para as transações do seu negócio, está a adoção de um sistema antifraude. Trata-se de soluções cujo foco específico é evitar que situações dessa natureza ocorram, sem a necessidade de verificações manuais para este fim.

Um sistema antifraude permite, por exemplo, que o QR Code não passe por alterações desde o seu envio até a chegada para o usuário. Assim, um cibercriminoso não terá acesso ao código e permitirá que ocorra o redirecionamento para tentativas de phishing e outras ações criminosas.

Além disso, uma solução desta natureza é vantajosa, pois permite cuidados que vão para além do QR Code. Vamos mostrar as principais a seguir.

Consulta de antecedentes

Um dos pontos que o sistema antifraude atua e que são importantes para o negócio é a verificação de antecedentes criminais. Por meio dessa ferramenta, é possível perceber se aquele CPF já foi alvo de algum tipo de ação cibercriminosa, ou seja, se os dados dela já foram vazados e podem estar em mãos de pessoas não-idôneas.

Atualização constante

Os sistemas precisam passar por processos de atualizações constantes, a fim de atualizar-se diante de novas tentativas de fraudes no mercado. Por exemplo, um sistema que não olha para a adoção do QR Code e não implementa soluções de proteção para esse objetivo está defasado em comparação com outras existentes no mercado.

Um bom sistema, dessa maneira, é atualizado com medidas importantes para autenticação de identidade, como a autenticação de dois fatores e operação de identidade digital.

Avaliação manual de falsos positivos

O “falso positivo” é quando um sistema percebe que uma determinada compra está fora do padrão do perfil de determinado usuário e bloqueia a transação. Contudo, muitas vezes aquilo representa, de fato, uma aquisição genuína. Por exemplo, um usuário pode nunca ter feito uma compra acima de R$2000, mas ao precisar adquirir um notebook novo, fará essa compra.

Dessa forma, o sistema deverá permitir que um analista verifique a transação, para identificar, de fato, se trata de uma tentativa de fraude ou é uma compra legítima, e liberar a confirmação (ou não) para o consumidor.

Agora que você sabe como usar QR Code e todos os detalhes importantes sobre o tema, consegue identificar a importância de contar com medidas de proteção para fraudes, não é mesmo?

Para ter o melhor sistema antifraude ao seu lado, o qual auxiliará nos processos internos, proteger você e seus clientes, conte com a Truora. Nossa solução é robusta e completa e permite evitar problemas que coloquem em xeque a segurança da sua empresa.

Entre em contato e saiba mais sobre os diferenciais do nosso produto!

click here!