Milhares de empresas e consumidores sofrem terríveis prejuízos todos os dias por causa de golpes na internet. Em época de crise grave, como a atual, fica ainda mais difícil enfrentar uma perda financeira desse tipo, não é mesmo? Por esse motivo, fique de olho: os criminosos estão cada vez mais audaciosos e criativos. Neste contexto, agora a bola da vez é o golpe do QR Code.

Sendo assim, empresas e consumidores devem redobrar a atenção ao usar essa ferramenta. Mas o que é o QR Code? Se você está na dúvida, não se preocupe: vamos explicar! Na realidade, o QR Code é um código de barras bidimensional, com símbolos horizontais e verticais.

Essa tecnologia é usada no pagamento online feito por dispositivos móveis, como tablets e smartphones. No entanto, para que um aparelho seja compatível com o sistema, é necessário que ele tenha um app de leitura das cifras, uma câmera e conexão com a internet.

Muito antes da Covid-19 já havia uma transformação digital em curso no mundo. No entanto, a pandemia acelerou esse processo. De um lado, há muito mais facilidades tecnológicas. De outro, o risco de crimes aumenta. Quer escapar do golpe do QR Code? Então, confira este post!

O que é o golpe do QR Code?

Mesmo diante de uma vistosa expansão do comércio online, essa ampliação não é acompanhada de prevenção o suficiente. O que queremos dizer é: cada vez mais consumidores passam a usar o ambiente online. No entanto, a maioria deles não está preparada para se proteger de golpes.

Tanto isso é verdade que o crime virtual aumentou nos últimos meses. Por esse motivo, empresas, marketplaces, fintechs, instituições financeiras, órgãos públicos e usuários devem tomar providências de segurança.

No caso das pessoas físicas, é preciso mudar certas atitudes e, assim, superar a falta de ferramentas para prevenir fraudes, muito comum no mercado ainda, infelizmente.

Responsabilidade empresarial

Porém, para as organizações, se faz necessária uma política profissional e especializada para a defesa e o tratamento das informações de terceiros. Até mesmo por causa da recente Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

No final das contas, empresas e cidadãos devem acompanhar as novidades em relação ao crime eletrônico. Nesse sentido, é altamente recomendável entender o golpe do QR Code.

A artimanha consiste em desviar o usuário para sites, plataformas de e-commerce, lojas e até mesmo aplicativos de bancos falsos. Assim, ao entrar na interface dos criminosos, a vítima tem os dados pessoais roubados de seu celular, inclusive os bancários.

Com essas informações sensíveis em suas mãos, os bandidos podem comprar ou fazer operações financeiras no lugar do real dono daqueles registros.

Como esse crime funciona?

Como já dissemos, os criminosos são muito criativos. Dessa forma, eles elaboraram programas de informática que coletam e guardam a imagem do QR Code verdadeiro.

Em seguida, eles alteram esse código, substituindo por um novo. Desse modo, as vítimas enxergam o QR Code ilícito e acreditam que se trata de uma página legítima.

Além disso, no caso dos bancos, existe uma artimanha extra: os criminosos dizem ao usuário para ele ir até um caixa eletrônico e registrar uma imagem do QR Code anexado ao aplicativo mobile. Para isso, os bandidos alegam ser funcionários de agências.

Em seguida, eles solicitam que esse código seja enviado para determinado número de celular. Por fim, eles obtêm os dados pessoais e bancários e começam a fazer operações financeiras no lugar das vítimas.

Golpe do QR Code com o Pix

Entre os vários tipos de fraudes com o QR Code, se destaca um que ataca os clientes de instituições financeiras que utilizam o PIX, novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central.

Nesse caso, os criminosos também substituem a URL que abre quando o consumidor escaneia um QR Code. Assim, o usuário é levado para uma página falsa.

Muitas vezes, essa página é muito semelhante à original. Porém, o endereço eletrônico nunca é o mesmo, o que dá pistas sobre a ação criminosa. Dessa forma, os estelionatários conseguem agir no lugar do cliente legítimo.

Como escapar do golpe do QR Code?

Para não cair no golpe do QR Code, os consumidores devem ler sobre segurança cibernética e adotar algumas atitudes de precaução. Porém, para gestores de empresas, o conselho é implementar um programa robusto para a prevenção de fraudes.

Isso inclui adotar medidas práticas e tecnológicas para preservar os dados, mas também realizar campanhas de conscientização. Assim, informando os clientes, é possível reduzir drasticamente os chargebacks mensais.

Aliás, o ideal é que campanhas para esclarecer os consumidores sejam incluídas nas políticas de compliance nas empresas. Confira a seguir algumas dicas para fugir do golpe do QR Code!

Origem desconhecida

É fundamental checar a procedência do QR Code. Infelizmente, o usuário somente poderá ver o endereço depois da abertura.

Porém, mesmo sem abrir, é possível saber de onde veio esse código. Sendo assim, não dê continuidade aos processos se não reconhecer a empresa ou instituição que está enviando a cifra.

Endereços curtos

Ao escanear um QR Code, o usuário deve desconfiar de endereços muito curtos ou com erros de grafia. Geralmente, essas URLs são usadas para simular um estabelecimento verdadeiro.

Em alguns casos, os criminosos têm ferramentas de tecnologia para “roubar dados”. Em outros, eles apresentam formulários e pedem informações sensíveis, como números de documentos e senhas. Portanto, jamais forneça dados críticos em links gerados por QR Codes.

Certificado SSL

É importante verificar o Certificado SSL, aquele símbolo de cadeado que fica em frente ao endereço eletrônico. Porém, hoje em dia, muitas páginas falsas contam com o SSL. Desse modo, ele não garante a segurança online.

Promoções com preços muito baixos

Os consumidores devem ser orientados a duvidar de ofertas gratuitas ou com valores muito abaixo dos praticados pelo mercado em questão.

Essa ideia de atrair a vítima pela vantagem maravilhosa e imperdível é bastante comum. E mais: os cibercriminosos podem imitar até mesmo os grandes varejistas do e-commerce!

Quais as vantagens dessa tecnologia?

Quando usado da maneira correta, o QR Code traz muito mais praticidade para os pagamentos online. Depois da pandemia, o comércio virtual cresce em ritmo ainda maior do que antes. Por esse motivo, esse recurso ainda tem muito a nos oferecer. Observe os benefícios, a seguir.

Economia

Com o QR Code e o uso das carteiras digitais, os clientes e as empresas não pagam taxas adicionais em suas operações financeiras de compras e vendas. Por esse motivo, esse sistema estimula o consumo. Isso pode ser um fator decisivo para o sucesso de um e-commerce.

Proteção de dados

Por mais que os criminosos sejam ousados, as empresas de TI focadas em cibersegurança também vêm reagindo à altura. Assim, não faltam soluções tecnológicas para impedir as fraudes.

Desse modo, algoritmos de criptografia são atualizados frequentemente. Como resultado, vai ficando cada vez mais difícil para os fraudadores agirem.

Velocidade

Para as compras presenciais, o QR Code faz a operação sem precisar digitar senhas e inserir cartões em máquinas. Além disso, sabemos que não são raros os problemas com as maquininhas de cartões.

Contudo, com o QR Code isso é superado. Afinal, tudo é feito pelo dispositivo do cliente de forma automática. Mesmo nas transações online, os processos são concluídos com maior rapidez.

Portanto, o golpe do QR Code exige colaboração e cautela por parte de empresas e clientes. Dessa forma, com os devidos cuidados, é possível minimizar os riscos de fraudes e de prejuízos financeiros por meio desse sistema. Com isso, companhias e cidadãos comuns vão poder aproveitar todos os benefícios dessa moderna tecnologia.

Neste artigo irá encontrar:

Subscreva nosso blog

Todas as informações e conteúdos que o seu negócio precisa, em apenas três minutos de leitura.